Case Agrodrone – Agricultura de Precisão

Ad Blocker Detectado

O nosso site está online graça à exibição de anúncios para os nossos visitantes. Apoie esta nova indústria desativando o seu bloqueador de anúncios Ad Blocker.

Empreender com Drones – Agricultura

Este caso foi desenvolvido a partir de informações cedidas pela AGRODRONE e outras fontes mencionadas no tópico “Referências”.

Resumo

Supervisão de Safra, Análises de Solo e de Campo, Avaliação de Saúde, Pulverização de lavouras. Essas são algumas das aplicações com drones apontadas por um Estudo sobre a  Indústria Brasileira e Européia de VANT’S, publicado pelo Ministério da Inovação e Desenvolvimento em Janeiro de 2017. Com um excelente custo benefício e fáceis de usar, essas aeronaves equipadas com sensores e uso de imagens com qualidade cada vez melhor; auxiliam agricultores a aumentar a produtividade e diminuir custos por intermédio de levantamentos de dados que possibilitam avaliar a plantação, o que implica em decisões precisas e rápidas. No Brasil, a AGRODRONE é uma empresa jovem e atuante em Agricultura de Precisão. Paulo Antonio Kümmel é de família tradicional de Agronegócios em Arapongas – PR e logo no primeiro contato com a tecnologia dos drones, teve a certeza de que ela passaria a fazer parte da rotina dos negócios da família. O implementação dos dornes no negócio na Kümmel Agronegócios, deu tão certo que logo o Sr. Kümmel fundou a AGRODRONE para prestar serviços na área.  Assim, a importância do investimento em aquisição tecnológica adequada, bem como na qualificação da equipe serão o foco desse estudo.

Apresentação

Paulo Antônio Kümmel, empreendedor do ramo de Agronegócios e atuante há mais de 20 anos nos empreendimentos da família no setor, em Arapongas-PR, é neto do Engenheiro Agrônomo Paulo Walmor Kümmel, um dos primeiros produtores a introduzir a plantação de trigo em Arapongas no ano de 1964. Hoje a região é composta por plantios de milho, trigo, soja, aveia e café, o que impulsionou o interesse do Sr. Kümmel em prestar serviços à terceiros com a tecnologia que já havia adquirido para benefício dos empreendimentos próprios.

“Inseri o uso dos drones inicialmente apenas para captação de imagens aéreas, monitoramento simples das plantações e do gado e facilitação no acompanhamento das movimentações rotineiras nas terras da família. Ao passo em que recebia os benefícios primários dos drones, pude aprofundar em conhecimentos acerca das aplicações e então realmente vi que algo muito maior poderia ser feito, a fim de que benefícios ainda maiores fossem alcançados. Fui absorvido por uma revolução tecnológica capaz de mudar para melhor os processos praticados há anos, padrões ainda instalados pelo meu avô. Conversei com a equipe de Agronomia da empresa e com amigos Engenheiros da área que mais tarde se tornariam meus parceiros na AGRODRONE e então dei o próximo passo para absorção de conhecimento e estrutura para o estudo de NDVI.”

Mesmo para Kümmel, que já tinha vivência em Agronomia há anos,  aperfeiçoar o conhecimento para acompanhar o desenvolvimento tecnológico não foi  fácil, tampouco rápido. Foi necessário tratar o assunto com a seriedade necessária e voltar para a cadeira de aluno.

A popularização dos drones possibilitou o meu acesso à diversas ferramentas e estudos já existentes há anos, porém tratados de forma mais complexa e custosa. Eu desconhecia sobre estudos através do sensoriamento remoto e as vantagens gerenciais que poderiam proporcionar para o acompanhamento de plantios. Hoje eu não vejo mais como poderíamos tratar avanços em produções agrícolas sem agregar tecnologia aos processos.” Kümmel

O Estudo

Muitos estudos acerca da vegetação e do solo são feitos através do Sensoriamento Remoto e o NDVI (Índice de Vegetação da Diferença Normalizada) é um deles. NDVI em sua forma mais direta de explicação, consiste no estudo da vegetação baseado na captação das radiações solares na fotografia, que aponta pela diferença de cores se o plantio está saudável, conforme os teores de clorofila na planta.

Sensores anteriormente embarcados em aviões e em satélites, deram lugar aos drones.  Capazes de carregar câmeras com estes sensores, possibilitando que as mesmas análises sejam feitas. Isso acarreta otimização de tempo, de processo e de custos.

Contextualização

A AGRODRONE é uma empresa que apesar de jovem, possui bases fortes e históricas, haja vista que foi fundada dentro de uma das maiores produtoras de grãos de Arapongas-PR, o Moinho Arapongas. Seu fundador, Paulo Antônio Kümmel, Investiu cerca de R$40.000,00 iniciais, entre drone, sensores, baterias, assinatura de 5 softwares diferentes para testes, aplicativos, locação de equipamentos, além do deslocamento, quando a capacitação era presencial, com cusos em outros Estados. Desde o início dos estudos em 2015; realizou testes com diversas culturas avaliando na prática tudo o que vinha estudando.

Logo o investimento em estruturação das bases deu resultado e seu trabalho alcançou uma Multinacional fabricante de Defensivos Agrícolas. Há 8 meses, o projeto que será custeado pela Multinacional caminha na realização de testes em campo, produzindo relatórios dos estudos para validação. Após conclusão dos testes e aprovação, a AGRODRONE espera anunciar uma parceria de peso, junto ao mercado nacional.

“… extrema necessidade em investimento primeiramente em cursos e equipamentos adequados para os serviços pretendidos, além da prática com muitos testes em campo junto a um Engº Agrônomo. Há muita informação controversa e equivocada nas redes, por isso é importante procurar uma boa referência de ensino.” Kümmel

Elementos de Diferenciação

A AGRODRONE é uma empresa que vem se inserindo no mercado, priorizando sobretudo a confiabilidade e precisão das informações geradas e transmitidas, realizando investimentos constantes em formação técnica, a aquisição de novos equipamentos e estruturas gerais para expansão de atendimento ao cliente.

“Encontro sempre um novo desafio a frente ao apresentar a tecnologia a novos clientes. Há uma necessidade grande de domínio de informações, além da experiência na prática para alcançar o entendimento da demanda e então transmitir com êxito a proposta de benefícios obtidos através do emprego do drone para estes tipos de estudos aplicados a Agricultura. Vejo como prioridade manter meus níveis de domínio técnico elevados, bem como uma base de estudos de plantio das culturas pretendidas para atuação.”

Kümmel fala sobre o fato da Agricultura ser uma das maiores expectativas para o mercado de drones, aumentando o interesse de novos empreendedores; mas destaca que não vê viabilidade de se manter no mercado se não houver preparo e investimento adequado.

“O drone não faz tudo sozinho, pelo contrário, neste caso ele é uma ferramenta manipulada pelo homem, que ao agregar outras estruturas tecnológicas, possibilita a geração de dados que por sua vez precisarão de capacidade e formação técnica para devida análise.”

Com os avanços para a regulamentação, o empresário mantém o foco e acompanha as exigências externas, pois também sabe que além do conhecimento técnico, há normas e condutas em torno das operações com RPAs.

Programação de Crescimento

Paulo Antonio Kümmel acredita que caso as regulamentações para uso profissional dos drones já tivessem publicadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), seus avanços já teriam sido mais expressivos, pois a legalização traria incentivos para novos investimentos, além de abrir portas a uma demanda que aguarda essas definições para entender de que forma poderão absorver a tecnologia em suas atividades. No entanto, o empresário pretende investir na aquisição de novos equipamentos e na melhoria do seu processamento de dados, pois sua demanda está em crescendo e a AGRODRONE tem o objetivo de se manter competitiva no mercado.

Atualmente a AGRODRONE fechou contrato com a Prefeitura de Arapongas-PA para Monitoramento da contribuição de águas nas nascentes dos rios e espera triplicar sua receita em 2017.

Dilema e Conclusão

O surgimento de usuários de drones com capital limitado para investimento em um empreendimento, caso prossigam adiante, sem o devido preparo técnico e estrutural, dificilmente estarão aptos para entregar um produto de qualidade ao cliente. Com isso, uma das saídas para o alinhamento com o mercado talvez seja a absorção desses pilotos de drones por empresas prontas, seja para  contratação ou seja para realizar serviços em parceria.

Então, se você quer empreender, prepare-se para complexidade da área, e para o capital mínimo necessário na aquisição de equipamentos e qualificação pessoal. Se for o caso, estude parcerias, procure investidores, ou mesmo comece  trabalhando para outras empresas e ganhando experiência na área.

A AGRODRONE ressalta que todos os seus avanços se deram somente por estarem prontos para atender às expectativas, caso contrário até o retorno do seu investimento inicial estaria seriamente comprometido.

Contate a Agrodrone

Agrodrone Soluções Técnicas/Arapongas – PR/Contato: (43) 98816-4171

 

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionando Ctrl + Enter.

mm

Adriana Guedini

Adriana Guedini é graduada em Administração de Empresas, pós-graduanda em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e com Certificação Profissional ANBIMA - Série 10 (CPA-10) para atuação em Mercado Financeiro e de Investimentos. Sua trajetória profissional é pautada por um histórico empreendedor e de destaque em multinacionais e empresas de grande porte nacionais. Nestas, atuou nas áreas de Finanças, Comercial e Recursos Humanos, adquirindo experiência e know-how em inovação e gestão de negócios. Aqui no IntoDrones tem o objetivo de produzir e compartilhar conteúdos sobre o mercado de drones e de áreas relacionadas para conscientização, estímulo e conhecimento geral, as quais fomentam o desenvolvimento dos setores.
mm

Receba nossas atualizações

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos interessantes e atualizações direto no seu e-mail

Comentários

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: