Cooperativismo Agropecuário e o Acesso ao Público Alvo – Drones na Agricultura

Ad Blocker Detectado

O nosso site está online graça à exibição de anúncios para os nossos visitantes. Apoie esta nova indústria desativando o seu bloqueador de anúncios Ad Blocker.

Um dos maiores desafios para qualquer empresa é definir e estabelecer canais de acesso ao seu público alvo. Ferramentas estratégicas de Gestão Empreendedora são capazes de facilitar esse relacionamento com seu cliente em potencial e por isso definir sua Identidade Empresarial e o seu Público Alvo são etapas iniciais para qualquer atuação. Michael Porter afirmou que estratégia competitiva basicamente é a escolha de um conjunto determinado de atividades capazes de produzir um produto de valor único.

Definir quais são suas bases técnicas e estruturais e alinhá-las às suas expectativas e perfil, darão origem aos produtos que você pode oferecer ao mercado, sempre pautado por padrões de qualidade na geração dos resultados esperados. Após as definições de identidade e do seu Mix de Produtos, o próximo passo é identificar seu Público Alvo.

No caso das fornecedoras de tecnologia ao segmento da agricultura, seja sob forma de prestação de serviços ou venda de equipamentos, é importante refletir sobre o perfil do cliente que você deseja conquistar. Quais são e qual finalidade das culturas que ele produz ? Trata-se de um pequeno, médio ou grande produtor? Qual nível tecnológico já implantado na propriedade? O produto/serviço que você pretende oferecer faz sentido no contexto do produtor?

Quando tratamos de um cenário muito grande, a captação de clientes se torna aleatória, e fica impossível definir um perfil padrão do cliente. Assim, o desafio de consolidar uma nova tecnologia como os drones é ainda maior, podendo limitar os índices de conquista e retorno de resultados. Contudo, se você conhece o mercado e as ferramentas que o impulsionam, fazer um Plano Estratégico de Atuação aumenta as chances de sucesso das suas operações de expansão.

As Cooperativas Agropecuárias são boas fontes de dados para trabalhar o Plano de Ação. Segundo dados do Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicado em 2012, as Cooperativas Agrícolas possuem 48% de participação na produção agropecuária nacional e é um segmento responsável por quase 11% do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário do país. Estima-se que no Brasil hajam aproximadamente 1.006.197 produtores rurais, agropastoris e de pesca associados à cooperativas e os números em torno do movimento através de Cooperativas giraram em torno de 44 milhões em 2012.

Os associados a essas cooperativas possuem, entre outras facilitações, a prestação de serviços e acesso à tecnologia. Serviços como assistência técnica e pesquisa, desenvolvimento e inovação são disponibilizados, bem como é facilitado o acesso a cursos de aperfeiçoamentos para melhorar a capacidade de gestão dos produtores. Entre as Vitrines Tecnológicas, estão as feiras de negócios e tecnologia voltadas ao segmento. Alguns exemplos são: a Expodireto (Cotrijal Não-Me-Toque – RS), Show Rural Coopavel (Cascavel – Paraná), Tecnoshow Comigo (Rio Verde – Goiás) e a Agrobrasília (Brasília – DF). Fontes apontam que somente no ano de 2014, essas vitrines receberam um público superior a 700 mil produtores rurais, gerando um volume de negócios em torno de 7 bilhões.

Um estudo de 2013 também aponta que as Cooperativas estão investindo em pesquisas para transferir tecnologia e inovação aos produtores rurais. Esse é um dado importante pra quem está em busca de oportunidade para se inserir no mercado. O perfil do produtor rural associado às cooperativas, é de uma pessoa mais propensa à agregação tecnológica em seus sistemas de gestão, pois há incentivos, acesso à informação e acesso à linhas de crédito captadas pelas próprias cooperativas.

Por isso entendemos que as ações devem ser direcionadas, concentrando esforços em atividades com reais potenciais de retorno. Estar onde o seu cliente está, é fundamental para se relacionar com ele, assim como se envolver com o dia-a dia do campo, te dão a oportunidade de se aproximar e ganhar a confiança do produtor.

O Cooperativismo Agropecuário facilita o acesso ao produtor, principalmente por tornar viável a aquisição de tecnologias e serviços, que até o momento ainda são consideradas de alto custo. Entretanto, já existe um projeto piloto da Qualcomm em parceria com a EMBRAPA, que visa baratear o custo com a compra do equipamento e processamento das imagens.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionando Ctrl + Enter.

mm

Adriana Guedini

Adriana Guedini é graduada em Administração de Empresas, pós-graduanda em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e com Certificação Profissional ANBIMA - Série 10 (CPA-10) para atuação em Mercado Financeiro e de Investimentos. Sua trajetória profissional é pautada por um histórico empreendedor e de destaque em multinacionais e empresas de grande porte nacionais. Nestas, atuou nas áreas de Finanças, Comercial e Recursos Humanos, adquirindo experiência e know-how em inovação e gestão de negócios. Aqui no IntoDrones tem o objetivo de produzir e compartilhar conteúdos sobre o mercado de drones e de áreas relacionadas para conscientização, estímulo e conhecimento geral, as quais fomentam o desenvolvimento dos setores.
mm

Receba nossas atualizações

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos interessantes e atualizações direto no seu e-mail

Comentários

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: