Estudo orienta sobre exigências e preocupações de empresas antes de inserir drones

Ad Blocker Detectado

O nosso site está online graça à exibição de anúncios para os nossos visitantes. Apoie esta nova indústria desativando o seu bloqueador de anúncios Ad Blocker.

O estudo apresenta padrões de exigências e direcionamentos que uma empresa deve ter, antes de fechar contrato com um fornecedor de tecnologia de drones.

O estudo

O estudo desenvolvido pelo ISACA, “Rise of the Drones”, foi publicado em março deste ano. O “The Rise of the Drones” esboça alguns dos usos potenciais da tecnologia drone em um ambiente comercial, incluindo implicações de negócios e considerações de risco, bem como questões críticas que uma empresa deve considerar antes de implementar uma solução com drone. Algumas dessas questões são:

  • Quais fatores devem ser prioritariamente considerados no gerenciamento estratégico, antes de fechar a aquisição e implementação de um conjunto de solução com drones para empresa?
  • Quais perguntas devem ser feitas para permitir o gerenciamento dos riscos associados a longo prazo, devido ao uso dos drones como uma ferramenta estratégica do negócio?
  • Quais políticas e procedimentos devem ser implementados antes que a organização implante seu primeiro conjunto de solução com drones?

De maneira geral, pode se dizer que, se uma organização desejar permanecer competitiva no mercado global de hoje, acabará olhando para os drones (e suas tecnologias relacionadas) como uma ferramenta competitiva com grandes possibilidades a lhe oferecer e certamente implementará a tecnologia.

As empresas estão adotando o drone em um ritmo cada vez maior e a indústria dos drones está se adaptando para atender às suas necessidades. Com empresas em todo mundo implementando a tecnologia, é crescente as formas de aplicações e respectivos ganhos. Nesse contexto, para empresas, sobretudo as de grande porte, as apostas e expectativas envolvendo a tecnologia são ainda maiores.

Leia mais: 7 passos para ter sucesso no seu empreendimento com drones.

A fonte

O estudo foi realizado pelo ISACA (Information Systems Audit and Control Association), uma associação internacional que suporta e patrocina o desenvolvimento de metodologias e certificações para o desempenho das atividades de auditoria e controle em sistemas de informação.

O ISACA é custodiante do COBIT (um conjunto de diretrizes baseadas em auditoria para processos, práticas e controles de TI) e desenvolvedor de quatro certificações profissionais reconhecidas no mundo todo, como a CISA (Certified Information Systems Auditor).

A associação está presente em 188 países e possui atualmente quase meio milhão de profissionais capacitados para ajudar empresas em todo o mundo, a extrair o potencial positivo das tecnologias.

Leia mais: Drones e suas principais aplicações na construção civil

Os resultados da pesquisa

A ISACA consultou seus membros globais para avaliar o planejamento e o uso de drones em suas respectivas organizações. Entre as descobertas desta pesquisa, estão que:

  • 75 % dizem que a segurança ou a privacidade são sua maior preocupação com o uso comercial de drones.
  • 65% dizem que a maioria das organizações que se beneficiariam do uso de drones não está preparada para atender aos requisitos de segurança e privacidade necessários.
  • 63 % não acreditam que seu pessoal existente tem perícia suficiente para avaliar a segurança dos drones.
  • Apenas 25% acreditam que os benefícios dos drones superam os riscos de segurança e privacidade – mas 48% dizem que os benefícios superam os riscos no futuro, quando essas preocupações são tratadas mais detalhadamente.

Orientações gerais

O estudo destaca como principais áreas de aplicação, a agricultura, engenharia, cinema, petróleo e gasoduto, energia elétrica e entrega especializada. Entre os pontos mais importantes a se analisar pela empresa, antes do emprego de drones, há um grande destaque para a necessidade de se adequar às normas regulatórias e padrões de segurança, para execução das atividades nas dependências da empresa.

O ISACA também dá uma série de instruções e algumas informações importantes a serem consideradas antes da contratação de empresas terceirizadas para prestação de serviços com drones. Destacamos algumas:

  • Situação de registro das aeronaves no órgão regulatório responsável no país;
  • Formação, experiência e registros legais dos pilotos e capacidade de gestão de riscos durante o voo (caso não haja experiência comprovada, deve-se certificar que esse profissional será devidamente acompanhado e observado por outro piloto mais experiente)
  • Datas de últimos cursos/treinamentos para executar a atividade proposta;
  • Existência de manual de boas práticas da empresa e padrões técnicos para execução das atividades;
  • Existência de cronograma para execução de atividades, contendo comprovantes de liberação dos órgãos regulatórios, nas datas propostas;
  • Existência de seguros de responsabilidade civil;
  • Aprovação em auditorias rotineiras internas, executadas pela contratantes, checando segurança, legalidade, capacitação e qualidade nas atividades, com seus respectivos documentos comprobatórios;

Além dessas e outras orientações acerca da estrutura de segurança oferecida pelo fornecedor, também há inúmeras recomendações quanto a estruturas internas criadas pelo contratante. Essas tornarão possíveis a fiscalização da contratante e a extração de maiores benefícios durante o emprego da tecnologia em suas bases.

Leia mais: 5 maneiras de gerenciar riscos em uma empresa de drones.

O conceito adotado

“Apressar-se a implementar a tecnologia, sem primeiro estar devidamente preparado, pode resultar em um desastre legal e financeiro. Um programa de implementação de drones se não for bem controlado, pode causar danos significativos à reputação da organização “, disse Albert Marcella, Ph.D., CISA, CISM, autor do artigo da ISACA. “Entretanto, com o controle, a política e os procedimentos corretos, uma solução a partir do drone pode oferecer uma vantagem técnica e competitiva significativa.”

Aderindo à tecnologia

Para as empresas implementar um procedimento envolvendo drone é um grande trabalho. Assim, como em qualquer outro projeto, a empresa terá que desenvolver novos processos, linhas orçamentárias e sistemas de relatórios para acomodar diferentes tecnologias. As partes interessadas terão que avaliar uma nova solução e encaminhá-las para um processo de compra e/ou contratação. O pessoal terá de ser treinado e as responsabilidades delegadas. O processo pode ser muito trabalhoso para uma grande empresa – e não vale a pena se o ROI (retorno sobre investimento) não for significativo. Com isso, em muitos casos, grandes empresas optam por terceirizar esses serviços, o que pode tornar esse processo ainda mais cuidadoso.

As empresas precisam de uma solução, não de um produto. Os clientes empresariais precisam saber que todos os elementos de uma solução funcionam em conjunto e que uma empresa irá apoiá-los – eles não podem pagar por um conjunto fraco que pode paralisar o processo por algum tempo. O processo de compra de uma grande empresa, é diferente do de uma empresa menor.

Leia mais: Drones na agricultura, por onde começar?!

O Suporte

As grandes empresas têm uma menor tolerância ao risco e, muitas vezes, têm importantes processos de seleção em vigor para assumir um novo fornecedor. Um cliente empresarial não pode se envolver com vários provedores diferentes para reunir uma solução. Não só é difícil trazer vários fornecedores diferentes, mas sobretudo gerenciar várias redes de suporte diferentes. As equipes de tecnologia corporativa querem ver uma integração coesa entre as peças de uma solução.

Essas empresas também possuem maiores expectativas de suporte. Grandes clientes precisam de ajuda para obter um novo sistema implementado. A indústria dos drones está aprendendo rápido o que é necessário para ajudar a eliminar as barreiras de entrada, abordando todos os aspectos do conjunto de solução fornecido a um cliente.

Conclusão

A tecnologia dos drones está se desenvolvendo rapidamente e aumentando a eficiência de suas aplicações. Assim, ao passo que a tecnologia ganha adesão quanto a exposição dos seus benefícios, significa que mais usuários, organizações e governos absorverão.

O aumento das possibilidade de uso da tecnologia, revela a necessidade da adoção e implementação de ferramentas de planejamento para inserir a tecnologia com segurança nas empresas. Dessa forma, a indústria dos drones deve se preparar continuamente. para atender as expectativas de organizações e padrões de funcionamento. Isso permitirá que fornecedores de serviços e/ou produtos com drones, alcance grandes empresas, que estão cada vez mais exigentes quanto a padrões profissionais de atuação.

Fontes

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionando Ctrl + Enter.

mm

Adriana Guedini

Adriana Guedini é graduada em Administração de Empresas, pós-graduanda em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e com Certificação Profissional ANBIMA - Série 10 (CPA-10) para atuação em Mercado Financeiro e de Investimentos. Sua trajetória profissional é pautada por um histórico empreendedor e de destaque em multinacionais e empresas de grande porte nacionais. Nestas, atuou nas áreas de Finanças, Comercial e Recursos Humanos, adquirindo experiência e know-how em inovação e gestão de negócios. Aqui no IntoDrones tem o objetivo de produzir e compartilhar conteúdos sobre o mercado de drones e de áreas relacionadas para conscientização, estímulo e conhecimento geral, as quais fomentam o desenvolvimento dos setores.
mm

Receba nossas atualizações

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos interessantes e atualizações direto no seu e-mail

Comentários

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: