Você quer ser o melhor ou o mais barato no mercado de drones?

Ad Blocker Detectado

O nosso site está online graça à exibição de anúncios para os nossos visitantes. Apoie esta nova indústria desativando o seu bloqueador de anúncios Ad Blocker.

Você quer ser o melhor ou o mais barato?

Provavelmente esse questionamento pode te levar a pensar por algum tempo, sobre o que de fato ele pode representar.

Muitos empreendedores colocam o preço como ponto principal na hora de desenvolverem seu empreendimento, no entanto o que ocorre é que acabam virando reféns desse aspecto do negócio, sacrificando em muitos casos até a qualidade. Se você está em uma corrida de preços, pode acabar ganhando e então… perdendo. E se por acaso você ficar em segundo, terá perdido duplamente, pois além de perder o baixo lucro, se quer vendeu.

No mercado de drones, assim como em todos os outros, presenciamos corridas entre concorrentes por preços mais baixos, mais notoriamente nas áreas de prestação de serviços e venda de equipamentos. Aqui nós abordaremos três pontos que o farão refletir sobre essa prática:

Ganhar em escala nem sempre é o melhor negócio

Muitos empreendedores acreditam que se abaixarem os preços, acabarão vendendo mais e ganhando em escala. No entanto, nem sempre essa é a opção mais inteligente. Se você vende mais, possui mais custos indiretos, como estrutura de vendas, fluxos administrativos, custos com compras, entre outros, o que impacta no seu lucro líquido (que neste contexto já seria baixo, dependendo da sua posição nessa competição). Alem disso, acarreta, entre outros, dificuldades como cargas de trabalho abusivas e elevado fluxo de comunicação com clientes, o que exige atenção redobrada na qualidade dos atendimentos. Como a prioridade de quem vende com menor preço geralmente é a de continuar vendendo, em algum momento clientes que precisem de eventuais atendimentos para pós venda ou acompanhamento do andamento da sua compra/contratação, podem não obter os retornos esperados e na qualidade esperada. Em muitos casos, vale a pena vender por um valor maior, em um fluxo mais moderado, para então ter o controle sobre todas essas variáveis. Vendendo com uma margem maior e investindo em outros padrões de qualidade, você pode se concentrar em garantir os verdadeiros diferenciais da sua marca. Fique também ligado aos imprevistos, pois com baixas margens de lucro, poucas situações de prejuízos podem impactar diretamente na saúde do seu negócio. Em todo caso, os riscos podem ser enormes, quando o preço é baixo demais.

Como as melhores marcas são reconhecidas

Todas as marcas de maior destaque e até aquelas com preços baixos, são conhecidas por alguma coisa que não está diretamente ligada aos seus preços. Reflita, pois são muitas e fazem parte do seu dia-a-dia. Vamos a alguns exemplos:

  • O Cirque de Soleil, campeão mundial da indústria circense, reinventou o jeito de fazer circo e atingiu esse posto mesmo após aumentar consideravelmente os seus preços de ingressos. Eles introduziram inovação de valor, teatro, arte, musicalidade, dança, somados à nostalgia da velha lona e dos palhaços engraçados. (Veja o case completo do Cirque de Soleil aqui)
  • Henry Ford, quando revolucionou a indústria de veículos, descobriu que as pessoas não queriam os carros mais baratos, elas queriam o carro mais descolado, o mais moderno e fabricado por aquela marca de valor.

O que levam clientes a comprarem uma calça da marca Diesel por R$2.000,00, enquanto podem comprar uma fisicamente parecida por  R$79,90? É a capacidade das marcas em investirem no aumento do seu Brand equity (valor de marca), o que compõe sensações de privilégio e desejo nos clientes, entre outros. Mas e quanto o produto é exatamente o mesmo? Neste caso, investir em qualidade na estrutura de atendimento e pacote de vantagens, são duas das estratégias, entre tantas outras, para atrair e fidelizar clientes. Se você quer ler um pouco mais sobre como agregar valor ao produto, clique aqui.

Como você quer ser visto

A longo prazo, manter-se como o mais barato pode ser uma baixa estratégia para aqueles que não possuem visão empreendedora suficiente para desenvolverem algo que valha pagar um pouco mais. Em todo caso, escolher entre ser reconhecido por ser o mais baratinho ou o melhor para atendimento às necessidades, pode direcionar e limitar o crescimento do seu negócio.

Este artigo reflete às opiniões do autor e não estimula a práticas de preços abusivos. Tem como objetivo central elucidar acerca da formação da maneira como você e sua marca são reconhecidos, bem como estimular as boas práticas comerciais, que tornam o mercado saudável, justo e fértil para novos interesses em investimento.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionando Ctrl + Enter.

mm

Adriana Guedini

Adriana Guedini é graduada em Administração de Empresas, pós-graduanda em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e com Certificação Profissional ANBIMA - Série 10 (CPA-10) para atuação em Mercado Financeiro e de Investimentos. Sua trajetória profissional é pautada por um histórico empreendedor e de destaque em multinacionais e empresas de grande porte nacionais. Nestas, atuou nas áreas de Finanças, Comercial e Recursos Humanos, adquirindo experiência e know-how em inovação e gestão de negócios. Aqui no IntoDrones tem o objetivo de produzir e compartilhar conteúdos sobre o mercado de drones e de áreas relacionadas para conscientização, estímulo e conhecimento geral, as quais fomentam o desenvolvimento dos setores.
mm

Receba nossas atualizações

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos interessantes e atualizações direto no seu e-mail

Comentários

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: